Delegado e investigador são baleados em Campo Magro

Leilane Benetta Publicação 29/01/2014 às 12:25:51 Atualizado 30/01/2014 às 05:10:47

Leia Mais

Allan Costa Pinto

Edmilson conseguir ferir quatro policiais, mas acabou morto. Confira na galeria de imagens como foi o cerco da polícia ao bandido.

Um traficante de Campo Magro foi morto, depois balear quatro policiais civis, entre eles, o delegado Leonardo Carneiro, do Centro de Operações Policiais Especiais (Cope). Edmilson Gotardo Nogueira, o “Cunhado”, era investigado por tráfico de drogas e considerado perigoso pela polícia.

Na manhã desta quarta-feira (29), policiais do Cope estavam em frente à casa de Edmilson, na Rua Bom Jesus, bairro Bom Pastor, aguardando para flagrar entrega de drogas. “O delegado Leonardo e o investigador Roberto entraram na casa dele e foram recebidos a tiros”, contou o delegado Cássio Conceição, também do Cope. Leonardo, de 30 anos, levou um tiro no ombro e outro nas costas. Ele passou por cirurgia e está internado na UTI do Hospital Evangélico. Não deve ficar com sequelas. O investigador Roberto Batista Soares, 35, foi baleado na barriga e se recupera no quarto no mesmo hospital.

Cerco

Na frente da casa o Focus branco placa JSY-6184 usado por Edmilson teve o vidro traseiro quebrado por um disparo. O traficante se escondeu no matagal de morro. Policiais militares da Rondas Ostensivas de Natureza Especial e de outros Batalhões e policiais civis do Tático Integrado de Grupos de Repressão Especial (Tigre) e de outras unidades participaram do cerco ao bandido. A operação teve apoio de viaturas e do helicóptero da Polícia Rodoviária Federal.

Quando os agentes entraram no mato, foram recebidos por tiros de Edmilson. Durante o confronto, dois policiais civis foram baleados: Rafael Busch, 26, levou um tiro na mão, e Carlos Antônio de Souza, 49, na perna e no peito, mas estava de colete à prova de balas. Edmilson foi alvejado no revide e morreu no matagal. Os policiais foram medicados e passam bem.

Conhecido

De acordo com Cássio, o suspeito estava com três armas: um revólver calibre 38 e duas pistola calibres 40 e 9 milímetros, uma delas que ele pegou do delegado Leonardo. Na casa de Edmilson foram apreendidos maconha, cocaína e crack. O tenente Rommel, da PM, comentou o suspeito era o maior traficante da região e chegou a dizer que se alguém tentasse prendê-lo não iria se entregar “numa boa”.

O confronto atraiu a atenção da comunidade. Crianças e adolescentes se arriscavam, chegando bem próximo à área do tiroteio. Entre os comentários dos moradores, ouviu-se expressões como “foi tarde” e “o ‘Cunhado’ era bom mesmo, olha quantos policiais ele mobilizou”.

 

Confira na galeria de imagens como foi o cerco da polícia ao bandido.


Publicidade

Publicidade