Casal é baleado em estacionamento de mercado

Janaina Monteiro Publicação 04/01/2011 às 00:00:00 Atualizado 19/01/2013 às 21:59:52
Aliocha Maurício
Jim foi levada entre a vida e a morte, ao Hospital do Trabalhador.

Um casal foi baleado, na tarde de ontem, no estacionamento do supermercado Carrefour, em Pinhais, na Rodovia João Leopoldo Jacomel, Vila Palmital. As primeiras informações obtidas por policiais da Rone (Rondas Ostensivas de Natureza Especial) é que briga entre torcidas do Coritiba e do Atlético motivou o crime. Os suspeitos são dois rapazes que estariam de bicicleta.

A jovem Jim Chang, 19, levou dois tiros na cabeça e foi encaminhada, em estado grave, no helicóptero da Polícia Rodoviária Federal (PRF), ao Hospital do Trabalhador. Na noite de ontem, ela passava por cirurgia. Marcos Antônio Moro Júnior, 28 anos, levou um tiro no peito e foi levado pelo Siate ao Hospital Cajuru.

Versões

De acordo com a Polícia Militar, o casal chegou ao supermercado num Corsa e foi baleado por volta das 17h. Um conhecido da vítima informou que Marcos e Jim teriam ido sacar dinheiro no caixa eletrônico.

Clientes que acompanhavam o socorro das vítimas comentavam que os dois teriam sofrido tentativa de assalto, porém testemunhas dizem que os assassinos já chegaram atirando.

O cliente Marcos Gonçalves relatou que deixava o estabelecimento, quando foi surpreendido por Marcos Antônio pedindo socorro. “Ele veio até a cobertura na entrada do mercado e pedia para levá-lo ao hospital”, contou a testemunha, que teve o capô do carro atingido por um tiro.

Policiais militares conversaram com parentes das vítimas, que preferiram não dar declarações à imprensa. Viaturas fizeram patrulhamento na região, porém, até o início da noite não havia notícia dos criminosos.

Segurança

Clientes do supermercado reclamavam da falta de segurança no pátio do estacionamento. “A gente não vê um segurança aqui. Todo mundo fica à mercê dos bandidos, porque não há controle de quem entra e sai. Já vi moto entrando sem esperar a cancela subir na entrada do supermercado”, reclamou Moisés Silva. Em nota, o supermercado disse que está tomando as providências necessárias e se colocou à disposição da polícia, para auxiliar nas investigações.


Publicidade

Publicidade