Assassino conta por que matou a mãe a facadas

Giselle Ulbrich Publicação 19/11/2010 - 00h29 Atualizado 19/01/2013 - 21h58

Emílio Eduardo da Rocha Devesa, 32 anos, foi preso ontem em Cerro Azul. Ele é acusado de assassinar a facadas a própria mãe, a enfermeira Maria Cícera de Faria, 65, na sexta-feira da semana passada, em São José dos Pinhais. Emílio se mostrou muito frio e nem um pouco arrependido do que fez.

O suspeito tinha mandado de prisão preventiva expedido pelo homicídio. Ao delegado Richard Alain Lolli, Emílio contou detalhes do crime. Foi tão insensível, que chegou a declarar que “ela parecia que tinha o corpo de aço, porque a faca até entortou”.

Emílio alegou que assassinou a mãe porque ela vendeu um apartamento que estava em seu nome, sem autorização. “Porém não encontramos nenhum documento até agora que comprove isto”, disse Lolli.

Cartões

Na casa do detido a polícia também localizou um boletim de ocorrência, datado de dois anos atrás, em que Emílio denuncia a mãe por que ela estaria usando seus cartões de crédito sem autorização. Este também foi um dos motivos que ele argumentou para o assassinato da enfermeira.

Os familiares do detido contaram ao delegado que, além de ser viciado em crack e cocaína há 10 anos, Emílio também tinha problemas mentais e já foi internado em clínicas psiquiátricas diversas vezes. “Cabe à Justiça solicitar uma perícia, para verificar se o detido possui estes transtornos mentais”, explicou Lolli.


Publicidade

Publicidade