Polícia fecha cerco contra traficantes no CIC

Marcelo Vellinho Publicação 14/08/2010 - 01h35 Atualizado 19/01/2013 - 21h53

O cerco está se fechando para os traficantes que aterrorizam a população da Vila Nossa Senhora da Luz, na Cidade Industrial. No início da manhã de ontem, outra operação policial resultou na prisão dos líderes de uma das quadrilhas que disputam o controle do tráfico de drogas na região.

Flagrados com forte armamento e coletes balísticos, foram detidos Marco Aurélio dos Santos, 30 anos, conhecido como “Tio Má”, apontado pela polícia como o chefe do bando, Lucas Vinicius de Oliveira Pereira, famoso na vila pelo apelido de “Baianinho”, 29, e Alexandre Martins dos Santos, 18.

As prisões foram efetuadas pelo Centro de Operações Policiais Especiais (Cope), após investigação iniciada há alguns meses, quando cresceu consideravelmente o número de homicídios na vila.

“Localizamos os quadrilheiros escondidos numa casa na Rua Maringá, no Pinheirinho. Apesar do armamento que dispunham, conseguimos dominá-los sem precisar disparar um único tiro”, afirmou o delegado Hamilton da Paz. Os suspeitos estavam com três metralhadoras (duas israelenses e uma americana), uma espingarda calibre 12 e uma pistola calibre 40. Também foram apreendidos dois coletes à prova de balas e munições.

Crueldade

Os presos, especialmente “Tio Má” e “Baianinho”, são apontados pela polícia como responsáveis por assassinatos no bairro e na região metropolitana, alguns deles praticados com crueldade.

De acordo com Hamilton, num dos homicídios, “Tio Má” arrancou a língua da vítima porque seria delatora. “Eles vêm matando e traficando há um bom tempo, já confessaram vários crimes e agora irão responder por eles”, disse o delegado.

Outros


Com a prisão dos três suspeitos e a apreensão das armas, a polícia acredita que a quadrilha tenha sido desmantelada. “Com certeza, a população da região terá um pouco mais de paz daqui para frente”, afirmou o delegado.

Recentemente, já haviam sido presos, pela Delegacia de Homicídios, Carlos Augusto Veras, 21, fornecedor de armas e munições para a quadrilha, e Érique Felipe Dias, 20. O delegado informou que os investigadores continuam vistoriando locais onde possivelmente a quadrilha escondia drogas.

A polícia ainda está no encalço dos integrantes do grupo rival. Permanece foragido o líder Diandro Cláudio Melanski, 32, e os membros Adilson Mendes, 30, e Rodrigo de Oliveira Leal, 29. Já estão presos Jéferson Majewski, 19, e Jean Peterson da Costa Farias, 22.


Publicidade

Publicidade