Polícia desmantela cartel do tráfico

Marcelo Vellinho Publicação 13/08/2010 - 00h42 Atualizado 19/01/2013 - 21h53
Aliocha Maurício
Os quatro bandidos faziam parte de dois grupos rivais da região da CIC.

A Delegacia de Homicídios apresentou quatro suspeitos de envolvimento em, pelo menos, 15 assassinatos na Cidade Industrial, motivados pelo tráfico de drogas na Vila Nossa Senhora da Luz. Os detidos fazem parte de dois grupos rivais, que disputam o controle da venda de entorpecentes na região.

O último a ser preso foi Érique Felipe Dias, 20 anos, flagrado na madrugada de ontem num acampamento, na divisa de Curitiba e Campo Largo. Com ele, os policiais encontraram 74 pedras de crack, um colete à prova de balas, uma espingarda calibre 12 e munição para pistola ponto 40.

“Érique é suspeito de cinco homicídios, entre eles o do policial civil Antônio Fernandes, em fevereiro do ano passado”, informou a delegada Camila Cecconello.

De acordo com a polícia, Érique é integrante da quadrilha comandada por Marco Aurélio dos Santos, 30, suspeito de um homicídio em Campo Largo e de outros quatro na CIC.

Ainda pertence ao grupo Lucas Vinícius de Oliveira Pereira, conhecido como “Baianinho”, 29, também acusado de envolvimento em assassinatos no bairro. Marco Aurélio e “Baianinho” estão com mandados de prisão expedidos e são considerados foragidos pela polícia.

No final do mês passado, o bando já havia sofrido uma baixa, com a prisão de Carlos Augusto Veras, 21. Ele era responsável pelo fornecimento de armas e munições.

Rivais


A outra quadrilha é liderada por Diandro Cláudio Melanski, 32, que está foragido. Além dele, a polícia procura por Adilson Mendes, 30, e Rodrigo de Oliveira Leal, 29. Recentemente, dois membros deste grupo foram presos: Jéferson Majewski, 19, e Jean Peterson da Costa Farias, 22.

Jéferson é acusado de participar do assassinato de Fabiano José Alves, que levou cerca de 40 tiros em frente a um condomínio na vila. Jean também é suspeito de um homicídio, no Butiatuvinha.

Conforme apurado nas investigações, as duas quadrilhas passaram a disputar o tráfico de drogas na região após a prisão do traficante Eder Conde, pela Polícia Federal, em 19 de maio. O grupo movimentava cerca de 100 quilos de cocaína por trimestre.

“Realizamos diversas operações no bairro para solucionar os assassinatos e identificar os integrantes dos bandos”, disse Cecconello. As nove pessoas identificadas quatro presos e cinco foragidos tiveram mandado de prisão solicitados pela Delegacia de Homicídios.

Colaboração


A polícia pede que a população colabore na localização dos suspeitos. As informações podem ser passadas ao telefone (41) 3360-1400. “As prisões, além de punir os envolvidos, leva segurança às pessoas da região, acabando com a guerra entre as quadrilhas”, afirmou Cecconello.


Publicidade

Publicidade