Dona de mercado é baleada no peito em assalto

Janaina Monteiro Publicação 07/08/2010 - 00h40 Atualizado 19/01/2013 - 21h53
Átila Alberti
Mulher foi baleada no peito e rapaz, no braço.

A proprietária de um mercado e um cliente foram baleados durante assalto, na manhã de ontem, no bairro São Dimas, em Colombo. Viviane Guibor de Assis, 34 anos, levou um tiro no peito.

A mesma bala feriu o braço de William Lima Pacheco, 19. Os dois foram encaminhados a hospitais. Os bandidos, que estavam numa motocicleta, fugiram com cerca de R$ 300 em dinheiro.

Segundo testemunhas, os autores seriam os mesmos que teriam assaltado o mercado na semana passada. Ontem, às 10h10, os dois jovens chegaram numa motocicleta Honda Biz azul e deram voz de assalto.

Viviane estava no caixa e os bandidos teriam obrigado o cliente a ir para trás do balcão. Durante o assalto, os bandidos atiraram. Viviane foi encaminhada ao Hospital Angelina Caron pelo cunhado, que travalhava no açougue, nos fundos do mercado.

Adolescentes


Os bandidos, que aparentavam ser adolescentes e estavam de capacete, fugiram sentido Campina Grande do Sul e foram procurados por policiais militares e investigadores do Alto Maracanã, mas até a noite não foram encontrados.

A polícia ainda não sabe se a mulher reagiu ao assalto. Vizinhos contaram que Viviane era casada e tinha dois filhos e morava nos fundos do mercado. Até o início da noite de ontem, ela permanecia internada na UTI do hospital, em estado considerado muito grave. Estava consciente, mas respirando por aparelhos.

Willian, informou o Hospital Cajuru, levou um tiro apenas de raspão, que necessitou apenas de uma sutura no braço. Depois disso foi medicado e recebeu alta médica.

Violência

Em frente ao mercado, que teve as portas fechadas após o crime, moradores e comerciantes da região estavam chocados e revoltados com a violência que tomou conta da região.

“Acredito que sejam os mesmos ladrões. Eles sempre estão em dois e de moto. No outro roubo, o filho da dona estava no caixa e nem viu direito quanto levaram”, contou a funcionária de uma loja. Ela disse que Viviane é tranquila e nunca reagiu a assalto.

Comerciantes do bairro estão apavorados com o crescente número de roubos. “O dono de um mercado teve de vendê-lo porque não aguentava mais ser assaltado”, comentou uma professora, que mora há anos na região. Ela reclamou da ausência de policiamento na região.

Não para

Só nesta semana, outras três pessoas foram baleadas por assaltantes. Na noite de quinta-feira, Cleonice Aparecida de Oliveira, 44 anos, foi morta dentro de uma farmácia, no Jardim Vitória Régia, na Cidade Industrial.

Na quarta, o metalúrgico Wagner de Leão Veiga, 25 anos, foi ferido com um tiro na cabeça, no Bairro Novo A, Sítio Cercado, e está internado. No dia anterior, o médico João Carlos Romanus, 74, morreu com um tiro no peito quando chegava em casa no bairro Alto da XV.


Publicidade

Publicidade