Músico é filmado por vizinho estuprando a enteada

Marcelo Vellinho Publicação 19/02/2009 às 00:00:00 Atualizado 19/01/2013 às 21:33:16

Acusado de estuprar semanalmente a própria enteada, de 8 anos, durante aproximadamente um ano, um homem de 48 anos, foi preso em flagrante, na tarde da última terça-feira, na Cidade Industrial de Curitiba.

Um vizinho filmou o abuso sexual e entregou as imagens a investigadores do 11.º Distrito Policial, que detiveram o suspeito próximo ao colégio onde a menina estuda.

Mesmo com a filmagem e a confirmação da garota de que praticava relações sexuais com o padrasto, o homem negou as acusações e disse ter sido vítima de uma armação.

O estuprador estava amasiado com a mãe da vítima há cerca de um ano. Músico, ele trabalhava apenas nos finais de semana, em bares, e ficava em casa a maior parte do tempo, facilitando sua aproximação com a menina, que estuda à tarde. Segundo a polícia, os abusos eram cometidos no final da manhã, antes do padrasto levar a enteada para o colégio.

Um morador vizinho estranhou que, em alguns dias, o músico fechava todas as cortinas da casa quando estava sozinho com a criança. Desconfiado, ele abriu um buraco nos fundos da residência que dava para o quarto.

Por volta das 12h30 de anteontem, ele flagrou o homem com a menina nua e filmou o ato sexual com seu aparelho celular. Em seguida, foi até a delegacia e mostrou as imagens aos investigadores Reginaldo e Guilherme.

“Fomos até o local e conseguimos prendê-lo próximo à escola, onde ele tinha deixado a vítima. Conversamos com a diretora e a pedagoga do colégio e a criança confirmou os fatos narrados e filmados”, disse Reginaldo.

O Conselho Tutelar da região foi chamado e levou a menina ao Hospital Pequeno Príncipe, onde foi submetida a exames de conjunção carnal, que irão confirmar se houve ou não violência sexual. Depois, a garota foi ouvida na delegacia.

“Numa sala reservada, a menina contou às conselheiras que já vinha sendo molestada pelo padrasto há cerca de um ano e que praticavam relações sexuais de uma a duas vezes por semana”, relatou o delegado Anderson Cássio Ormeni Franco. A mãe da criança afirmou que não desconfiava do que vinha acontecendo.

Preso

Em seu interrogatório, o músico não quis se manifestar sobre o caso. Porém, à imprensa, negou que tivesse abusado sexualmente da enteada, mesmo tendo contra si a versão da menina e a filmagem. Ele afirma ter sido vítima de uma armação. “Nunca fiz isso com ninguém. Deve ter sido uma montagem”, alegou. O homem foi autuado em flagrante por crime de estupro e atentado violento ao pudor.


Publicidade

Publicidade