Presa quadrilha que roubava caminhões no Estado

AE Notícias Publicação 20/12/2008 às 00:00:05 Atualizado 19/01/2013 às 20:31:03
Aílton Santos/Jornal Hoje
Parte dos integrantes do bando que agia no interior foi presa ontem, em Cascavel.

A polícia prendeu, na manhã de ontem, 17 suspeitos de integrar a quadrilha responsável por mais de 30 roubos a caminhões e cargas nos últimos oito meses, agindo nas regiões noroeste, oeste e sudoeste do Paraná.

O prejuízo causado às vítimas passa de R$ 9 milhões. A Operação Mão Amiga foi formada para cumprir 24 mandados de prisões e 30 de busca e apreensão, no Paraná, Mato Grosso e Goiás, expedidos pela Comarca de Alto Piquiri, no noroeste do Paraná.

Para o secretário da Segurança Pública, Luiz Fernando Delazari, a operação mostra que o trabalho da polícia tem sido intenso no combate a criminalidade em todo o Estado. “É mais um grande trabalho de inteligência da polícia que, junto com o Ministério Público, conseguiu desmontar esta quadrilha”, afirmou.

Participaram da operação policiais dos Núcleos de Repressão a Crimes Econômicos (Nurce) e da Divisão Estadual de Narcóticos (Denarc) de Cascavel, com apoio de policiais de Toledo, Francisco Beltrão, Umuarama, Grupo Tigre (Tático Integrado de Grupos de Repressão Especiais) e do Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público de Mato Grosso.

Foram presos Alessando da Silva, Leandro Cabral Ferreira, Everton Donadel Saez, Vilmar Priviatele, Leomar Lemes de Moraes, Celso Tonin, Wagner Fernando Peres, Patrick Fernando Silva Alves, Raphael Moisés Pedroso, Roberto Alexandre da Silva, Márcio de Oliveira Nicolau, Edson Laertes Bill, Marcelo Chaves Queiroz, Paulo Cezar da Silva, Stanislaw Muller, Marcelo Kenedy Ragni e Valdir Felipsen. Valdir foi preso portando várias armas, entre elas uma pistola calibre 9 mm israelense, munições, além de um colete balístico.

As investigações continuam para levantar outras pessoas envolvidas com o grupo e possíveis homicídios cometidos por seus integrantes. Todos os presos foram indiciados por roubo, receptação, formação de quadrilha, tráfico de drogas e removidos para o Setor de Carceragem Provisória da 15.ª Subdivisão Policial de Cascavel.

Organização

O Nurce e a Denarc já tinham prendido há uma semana, três membros da quadrilha em Telêmaco Borba, nos Campos Gerais, quando apreenderam um caminhão roubado.

“O grupo era muito bem estruturado e cada membro tinha funções definidas. Membros da quadrilha recebiam a encomenda dos receptadores de determinada marca e modelo de caminhão e saíam a procura dos veículos nas rodovias da região”, explicou o delegado Carlos Reis, que comandou a operação.

Segundo as investigações, quando encontravam o caminhão pedido, os bandidos seguiam o caminhoneiro e aguardavam o momento em que ele parava em algum posto de combustível da rodovia. Sem que o motorista percebesse, um membro da quadrilha desengatava a mangueira de ar, conhecida como “mão amiga”.

Ao voltar para estrada o caminhoneiro logo tinha que parar. Era neste momento que os marginais faziam a abordagem. A vítima era dominada e o caminhão levado até um receptador. Em alguns casos os motoristas ficaram amarrados por mais de 24 horas, tempo suficiente para que a quadrilha completasse todas as etapas da ação.

Foram apreendidos diversos automóveis importados como BMW, Audi, Toyota Hylux, Eclipse Mistubishi, e alguns caminhões que a quadrilha comprava com o dinheiro dos roubos. Também foram recolhidos grande quantidade de produtos roubados, pouca quantidade de drogas, oito armas e capuzes.

A polícia apurou que a quadrilha também é acusada de assassinar um de seus membros, por causa de desentendimento sobre um caminhão roubado no sudoeste do Estado. O corpo foi abandonado no município de Coronel Vivida.


Publicidade

Publicidade

Comente a notícia