Quando o sintoma da cirrose aparece, a doença se torna irreversível

Redação O Estado do Paraná Publicação 05/12/2007 - 17h39 Atualizado 19/01/2013 - 21h18


Os sintomas da cirrose podem demorar a aparecer, mas quando isso acontece é sinal de que a doença já se tornou irreversível.
Quando o laudo médico aponta a causa da morte como sendo por cirrose hepática, a primeira impressão que vem à cabeça é de que a pessoa portadora da doença era um alcoólatra inveterado. Ledo engano. Segundo o professor titular de cirurgia do aparelho digestivo e chefe do Serviço de Transplante de Fígado do Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Paraná, Júlio Coelho, a incidência de cirrose provocada por alcoolismo perde para os casos da doença provocados por hepatites. As maiores vítimas da doença são homens acima de 45 anos, mas também as mulheres podem ser acometidas.

Além das hepatites B e C, e do alcoolismo, algumas doenças congênitas, mais raras, podem desencadeá-la. Existem origens mais raras, como hepatite auto-imune, cirrose biliar, esteato-hepatite, hemocromatose. No Brasil, não existem estimativas que apontem corretamente os números de morte em virtude da doença. “No entanto, as hepatites já causam graves preocupações à saúde pública”, reconhece o especialista.

Sintomas controlados

As hepatites por uso excessivo e contínuo do álcool causam inflamação persistente do fígado e progressivamente ocorre a formação de fibrose. Quando esta fibrose é intensa pode haver formação de nódulos hepáticos que caracterizam a cirrose. “Se a agressão ao fígado persiste, as células hepáticas são substituídas por tecido fibroso e surge então a insuficiência hepática”, explica o hepatologista Jorge Segadas.

A princípio, a doença pode ser assintomática. No entanto, ao se manifestar, as pessoas podem sentir uma série de desconfortos, como olhos amarelados (icterícia), líquido no abdome (ascite), inchaço nos pés (edema) e confusão mental. Alguns desses sintomas podem ser controlados, evitando-se, com isso, que ela progrida. Num segundo momento, quando começam a surgir sinais claros da doença, mostrando que ela se encontra numa fase bem avançada. “Nesta fase ela se torna irreversível e os tratamentos têm o único objetivo de atrasar a sua evolução”, reconhece Júlio Coelho, adiantando que, nos casos mais críticos, a única solução é o transplante hepático.

As cirroses hepáticas, ocasionadas pelo uso indiscriminado de bebidas alcoólicas, vêm atingindo homens e mulheres, quase na mesma proporção. A única prevenção possível é evitar um consumo excessivo de álcool. Quando ocasionadas por hepatite C, como ainda não há vacina, a única forma de prevenção é evitar comportamentos de risco que possibilitem o contágio através de sangue contaminado. Muitas vezes o indivíduo nem sabe como foi infectado pela doença. Antigamente, a doença incidia mais nas pessoas que se submetiam a transfusões de sangue, devido a falta de higiene e de materiais descartáveis, hoje é mais comum acontecer entre dependentes de drogas injetáveis, confirma o médico.

Prevenção e responsabilidade

Por ser o órgão que centraliza todo o metabolismo do organismo, qualquer doença que acometa o fígado reflete em diversos outros órgãos do corpo. Assim, as cirroses ou outras doenças hepáticas, de acordo com Coelho, podem provocar desde câncer, a outros distúrbios hormonais, entre eles, o crescimento da mama e a impotência nos homens e dificuldades de menstruação nas mulheres.

Para evitar a cirrose, Jorge Segadas comenta que controlar o consumo de álcool é importante. Entretanto, outras medidas recomendáveis na prevenção não são freqüentemente relacionadas a ela. “O uso de preservativos em relações sexuais, por exemplo, pode impedir a contaminação pela hepatite e diminuir a possibilidade do desenvolvimento da cirrose hepática”, lembra o especialista. A vacina contra a hepatite B também é uma alternativa neste sentido.

Primeiros sinais

* Perda do apetite

* Náuseas

* Vômitos

* Indigestão

* Perda de peso

* Constipação

* Dor abdominal

* Fadiga

Principais sintomas

* Fígado aumentado

* Olhos e pele amarelados e urina escura

* Sangramento do trato gastrintestinal

* Coceira

* Perda de cabelo

* Inchaço nas pernas

* Aumento do volume da barriga

* Tendência para formar hematomas com facilidade

* Confusão mental


Publicidade

Publicidade

Comente a notícia