Padre preso sob acusação de pedofilia

Clewerson Bregenski Publicação 21/05/2003 - 00h59 Atualizado 19/01/2013 - 20h39

Um dia depois do Dia Nacional de Combate ao Abuso Sexual de Crianças e Adolescentes, um padre foi preso acusado de pedofilia em São Mateus do Sul. Jacinto César Parachuk, 35 anos, foi autuado em flagrante, às 17h50 de anteontem, por atentado violento ao pudor. Ele teria abusado sexualmente de um garoto de 14 anos. O padre está recolhido em uma cela especial, por possuir curso superior. Ele foi denunciado por outro menor.

De acordo com informações dadas pelo delegado José Carlos Rodrigues de Almeida, um garoto de 10 anos telefonou para a delegacia informando que um homem o abordou em um campo de futebol, quando jogava bola. O desconhecido ofereceu R$ 10,00 para que fosse cortar grama na casa dele. O menino recusou a oferta, mas notou que logo em seguida o mesmo homem abordou outro garoto, este de 14 anos. O adolescente aceitou o convite e os dois partiram em um Gol. Achando tudo muito estranho a criança ligou para a polícia.

Prisão

De posse das informações, policiais militares e civis saíram à procura do Gol. A cerca de três quilômetros de São Mateus, a polícia localizou o carro parado no acostamento da rodovia. Como o Gol estava vazio, os policiais se deslocaram por uma estrada secundária e localizaram o padre retornando a pé, em direção ao veículo. Duzentos metros adiante avistaram o garoto também retornando.

Indagado pelos policiais sobre o que estava acontecendo, Jacinto disse nem conhecer o menor. O padre e a suposta vítima foram levadas a delegacia para esclarecer a história. Diante do Conselho Tutelar, o adolescente admitiu que sofreu violência sexual. Imediatamente, a vítima foi encaminhada para a realização de exames que comprovaram o abuso, informou Almir, superintendente da delegacia local. "Se for necessário serão pedidos novos exames, mas o flagrante foi feito e o padre está preso", explicou o policial.

"Diante das evidências, o padre admitiu ter dado carona ao garoto, mas negou o abuso sexual", disse o superintendente. O padre foi autuado e vai responder a um crime que prevê pena entre 6 a 10 anos. Jacinto trabalhava na paróquia em São João do Triunfo, município localizado a cerca de 30 quilômetros de São Mateus do Sul.


Publicidade

Publicidade

Comente a notícia