O desconforto dos sintomas da andropausa

Redação Publicação 13/03/2009 às 04:00:00 Atualizado 19/01/2013 às 21:33:59

Os sintomas da andropausa, por muitos considerada a menopausa do homem, eram confundidos com a crise da meia-idade - um fenômeno diferente com características psicossociais que, contudo, pode ter consequências desagradáveis, como irritabilidade, diminuição da potência sexual e modificação dos padrões de comportamento.

Não faz muito tempo, foi demonstrado que o distúrbio é causado por alterações fisiológicas, notadamente pela diminuição de segregação de testosterona (hormônio masculino), à medida que o tempo passa.

No entanto, a andropausa não é conhecida por grande parte da população. Segundo especialistas, a falta de informação é a principal causa desse desconhecimento.

Conforme estimativas, entre homens, somente 20% com idade entre 60 e 70 anos, período de pico do distúrbio, apresentam sintomas, enquanto a maioria das mulheres não escapa dos desconfortos comuns desde o início da menopausa.

O clínico geral e homeopata Eduardo Lambert, especialista no tema, diz que, sobretudo, na área sexual esse desconforto vem à tona, "principalmente quando o homem não buscou orientação e não conseguiu muitas realizações na vida".

Apesar dos avanços científicos e da ligação entre a queda de produção de testosterona e o envelhecimento, o assunto continua carregado de preconceitos. Se por um lado, os sintomas da menopausa são fáceis de detectar, no que diz respeito à andropausa o assunto não é tão simples.

Avaliação específica

Até hoje, há especialistas que defendem que a andropausa é apenas uma condição psicológica. Outros a associam à redução da libido, disfunção erétil e outras reações relativas ao desempenho sexual.

Outros especialistas acrescentam a atrofia muscular, aumento da gordura corporal, alterações de humor e diminuição da força, dentre os componentes dessa verdadeira "síndrome".

Toda a abrangência de sintomas, cuja intensidade e manifestação divergem de homem para homem, faz com que existam muitas exceções à regra para definir objetivamente o conceito do distúrbio. O diagnóstico, porém, apenas poderá ser ditado por um médico, mediante a avaliação específica e especializada das condições apresentadas pelo paciente.

Eduardo Lambert explica que em qualquer idade o homem pode ter distúrbios do desejo sexual, da ereção e da ejaculação, mas, uma falha sexual, seja qual for a origem, pode fazer surgir a indesejável e amedrontadora idéia do "tudo acabou, pois estou ficando velho".

Na realidade, conforme Lambert, isso mostra um despreparo pela falta de conhecimento dessa importante fase da vida. "A andropausa é um problema da idade que merece uma boa orientação e um tratamento adequado", esclarece.

Terapia hormonal

Para a maioria dos que passam dos 45 anos de idade, a queda na produção de testosterona, sinônimo de virilidade, é um fantasma que continua assustando. Segundo o andrologista Lídio Jair Ribas Centa, a partir dessa idade, os níveis desses hormônios no organismo vão diminuindo normalmente, e, dependendo de vários fatores, como hereditariedade e condições de vida, essa redução pode se acentuar, provocando diversos tipos de reações.

O papel mais conhecido da testosterona é o de garantir as características próprias do sexo masculino, como pêlos no rosto, voz grossa e potência sexual, mas eles também têm vital importância no desempenho de outros órgãos como cérebro, ossos, músculos e rins, entre outros.

Há certos fatores que tornam o surgimento da andropausa mais precoce: tabagismo, alcoolismo e maus hábitos alimentares. De acordo com os especialistas, não existe um tratamento específico, mas há maneira de compensar a falta de testosterona.

Nesse particular, a terapêutica hormonal de substituição ou os suplementos hormonais podem desempenhar um papel importante. "O primeiro passo para superar esses obstáculos é não demorar para buscar auxílio especializado", completa Eduardo Lambert.

Alterações hormonais na andropausa

* Cansaço físico e mental
* Alterações de memória e capacidade de concentração
* Falta de disposição para a prática de exercícios físicos
* Insônia, irritabilidade
* Aumento de peso e perda de massa muscular
* Dificuldades para conseguir ter ou manter a ereção
* Perda de interesse pelo sexo
* Osteoporose


Publicidade

Publicidade

Comente a notícia