Redução da Selic é essencial ante crise externa, diz CNI

Publicação 30/05/2012 às 20:47:00 Atualizado 08/03/2014 às 04:31:12

A Confederação Nacional da Indústria (CNI) avalia que a redução da taxa Selic de 9% para 8,5% ao ano "é essencial diante da crise internacional". De acordo com a entidade, o Copom adotou uma decisão acertada ao reduzir a taxa básica de juros em 0,5 ponto porcentual.

"O cenário externo adverso exige ações rápidas e estruturantes, e a redução dos juros é componente essencial nessas medidas. No campo interno, a inflação está em desaceleração, proporcionando ambiente positivo para uma política monetária mais ativa", avalia a CNI, em nota.

A confederação destaca, ainda, que os indicadores prévios do Produto Interno Bruto (PIB) mostram desaceleração em relação a 2011, "ano em que a economia já não mostrou grande desenvoltura". Além disso, a entidade afirma que a indústria é a mais afetada pela queda na demanda externa e lembra que a produção industrial recuou 0,5% no primeiro trimestre em relação ao quarto trimestre de 2011. "O segmento de bens de capital, que sustenta o investimento, caiu 9% na mesma base de comparação", destaca o texto da CNI.

A CNI lembra que a queda de juros barateia o crédito e, em consequência, contribui para a retomada dos investimentos e o reaquecimento da demanda interna. "É importante que a essa redução se some maior austeridade nos gastos públicos, de forma a não prejudicar o atual cenário inflacionário benéfico", cita o comunicado.


Publicidade

Publicidade