Curitiba pode ter patrulha de proteção à mulher

A prefeitura de Curitiba pretende implantar a patrulha de proteção à mulher, seguindo o modelo da Patrulha Maria da Penha, de Porto Alegre. A ideia é atender às mulheres vítimas de violência doméstica, atuar em situação de flagrante e adotar medidas preventivas, além de fiscalizar decisões do poder judiciário.

“Um programa como esse é necessário diante das situações de violência contra a mulher, que têm sido recorrentes em todo o país. É inadmissível que no Brasil, em pleno século 21, o poder público ainda tenha de se preocupar com a luta pelos direitos básicos da mulher de não ser agredida dentro de suas próprias casas, por pessoas da sua convivência e confiança, que envolve relação afetiva ou de parentesco”, afirmou o prefeito Gustavo Fruet.

Por conta dessa iniciativa, a secretária municipal da Mulher, Roseli Isidoro, recebeu nesta quarta-feira (23) a visita da secretária de Políticas para as Mulheres do Estado do Rio Grande do Sul, Ariane Leitão, e da tenente coronel Nádia Gerhard, coordenadora do programa “Patrulha Maria da Penha” em Porto Alegre.

As autoridades dos dois estados vão discutir a funcionalidade do programa e as etapas necessárias para a sua criação.


Publicidade

Publicidade

Comente a notícia