Cremação custa, em média, R$ 2,5 mil

Carolina Gabardo Belo Publicação 30/07/2012 às 00:00:00 Atualizado 19/01/2013 às 22:21:42
Divulgação

Pinhais é uma das únicas cidades do País a contar com um sistema público de cremação.

Na região de Curitiba três empresas prestam o serviço particular de cremação, nos municípios de Pinhais, Campina Grande do Sul e Campo Largo. Em média, o procedimento custa R$ 2,5 mil, podendo variar de acordo com os itens escolhidos para a cerimônia, e está disponível em planos de cremação preventiva, que minimizam a burocracia, ou em pronto-atendimento, contrato para uso imediato.

“Sempre orientamos pelo plano de cremação preventivo, pois isso resolve o problema antecipadamente, sem transtorno. Quando se perde alguém não é o melhor momento para contratar o serviço, e assim é possível pensar no melhor plano, nas opções de empresas”, avalia Andrei Matzenbacher, diretor do Jardim da Saudade.

Além do serviço particular, o município de Pinhais possui um dos únicos sistemas públicos de cremação do País, destinado à população de baixa renda da cidade. O Crematório Vaticano, que venceu a licitação para realizar o serviço de cremação para a prefeitura, também atende famílias interessadas pelo plano particular na cidade, pelo valor de R$ 1,8 mil para pessoas adultas e R$ 1,3 mil para crianças.

“A prefeitura não participa destas negociações, que estão previstas no contrato de concessão. Mas é um valor de mercado e a tendência é que ele seja reduzido porque o mercado baixou o preço das cremações”, afirma o secretário municipal de Administração de Pinhais, José Martins. O crematório municipal fez seu primeiro procedimento no dia 29 de junho e desde então foram 18 procedimentos, todos pagos. Para ter acesso ao serviço gratuito, a família deve procurar a Secretaria Municipal de Assistência Social, que providencia a cremação.


Publicidade

Publicidade

Comente a notícia