Homem é decapitado no Sítio Cercado

Marcelo Vellinho Publicação 25/02/2010 às 00:26:05 Atualizado 19/01/2013 às 21:46:57
Átila Alberti
Sebastião pode ter sido decapitado vivo.

Não é só o crescente número de assassinatos em Curitiba e região que assusta a população, mas também a forma com que os criminosos, principalmente aqueles ligados ao tráfico de drogas, tiram a vida das vítimas.

Ontem, mais um exemplo da brutalidade dos marginais foi demonstrado no Xapinhal, Sítio Cercado. O viciado Sebastião Beira, 37 anos, foi encontrado morto no Ribeirão dos Padilha, ao lado da Rua Francisco José Lobo. Ele teve a cabeça cortada e jogada dentro de um barril, ao lado do corpo.

O crime atraiu a curiosidade da população local, gerando aglomeração em volta do rio. Mesmo já acostumados com as cenas de morte esse foi o 16.º assassinato no Sítio Cercado somente neste ano os moradores se espantaram quando os bombeiros retiraram a vítima da água, sem a cabeça. Uma das orelhas do homem também foi cortada.

A perita do Instituto de Criminalística não encontrou nenhum outro tipo de ferimento. Portanto, não está descartada a hipótese de Sebastião ter sido decapitado vivo. Após o crime, ele foi jogado no ribeirão e sua cabeça foi colocada num barril, que também estava na água.

Premonição

Investigadores da Delegacia de Homicídios apuraram que Sebastião foi mais uma vítima do bárbaro mundo das drogas. Ele tornou-se viciado ainda na adolescência e, desde então, dava trabalho para sua família.

Na noite de terça-feira, antes de sair de casa, entregou seus documentos para a mãe e disse a ela que os guardasse, para caso acontecesse alguma coisa. "Ele sabia que estava com os dias contados”, confirmou o investigador Nei. Os parentes só não imaginavam que o homem seria morto de forma tão desumana.


Publicidade

Publicidade