Paraná celebra 155 anos de emancipação política

Cintia Végas Publicação 12/12/2008 - 00h00 Atualizado 19/01/2013 - 21h30
Ciciro Back
O botânico Gert Hatschbach, o obstetra Moysés Paciornik e a enfermeira Virgínia Leite: personalidades do Estado.

Sessão solene realizada no plenário da Assembléia Legislativa (AL) do Paraná, em Curitiba, comemorou ontem os 155 anos da emancipação política do Estado, que aconteceu em 29 de agosto de 1853, através da Lei 704, sancionada por Dom Pedro II. Na época, a comarca de Curitiba foi desmembrada da Província de São Paulo, formando a Província do Paraná.

A solenidade de ontem foi realizada em antecipação à data de instalação da província, 19 de dezembro. "Estamos adiantando as comemorações em função da agenda da Assembléia. Porém, é uma data que não pode ser esquecida. Neste pouco mais de um século e meio de vida política, o Paraná conseguiu se firmar com forte identidade no cenário nacional", declarou o presidente da AL, deputado Nelson Justos, que presidiu a sessão.

Na ocasião, foi atribuído o prêmio "Estado do Paraná" a três personalidades importantes para o povo paranaense: o botânico Gert Hatschbach, que tem 85 anos e foi um dos criadores do Museu Botânico de Curitiba, localizado no Jardim Botânico; a enfermeira expedicionária Virgínia Leite, de 91 anos, que foi integrante da Força Expedicionária Brasileira, na II Guerra Mundial; e o médico obstetra Moysés Paciornik, de 94, que é grande divulgador do parto de cócoras, tem diversos livros publicados e cerca de 60 anos de dedicação à medicina. Os três foram escolhidos por uma comissão especial de parlamentares e aprovados pelo plenário do Legislativo Estadual.

No ano da emancipação, o Paraná tinha cerca de 62 mil habitantes e apenas nove municípios: Paranaguá, Curitiba, São José dos Pinhais, Lapa, Antonina, Morretes, Guaratuba, Castro e Guarapuava. Hoje, são 399.


Publicidade

Publicidade

Comente a notícia