Alma da festa

Publicado em 12/11/2010 às 22:00:00 - Atualizado em 20/01/2013 às 09:48:33
Perfil de Luiz Carlos Zanoni

Jornalista apaixonado por vinhos, que se especializou no tema. Participa de confrarias no Brasil e no exterior, como a da Bairrada, em Portugal. Escreve há vários anos a coluna Carta de Vinhos para O Estado do Paraná e Paraná-Online.

As mágicas borbulhas parecem repetir, na taça, o alegre e vibrante espetáculo que os fogos de artificio promovem pelos céus na entrada do novo ano. Nessa festa, são um ingrediente tão importante quanto abraços, roupa branca, o leitãozinho da ceia e as nem sempre cumpridas promessas. Um bom espumante não pode faltar no 31 de dezembro, mas há quem diga que sim, a ausência pode ocorrer, por conta do ultra aquecido movimento de vendas que os radares do comércio registram. Em outros anos, a procura de bebidas e alimentos sempre ficava para a última semana, quando não para o último dia. Com o real fortalecido e a economia em alta, a velha rotina está sendo agora rompida, é o comentário de muitos lojistas, impressionados pela ida antecipada da clientela às compras. Assim, por uma questão de previdência, vale desde já se garantir em relação aos itens mais cobiçados, entre eles esse que é a alma da festa.

As prateleiras nos propõe uma oferta ampla de espumantes, com a vantagem de que, nesse domínio, o produto nacional é rei. A Serra Gaúcha, pelas condições de clima e solo, tem, nessa categoria de vinhos, sua grande vocação. Nas provas mais recentes, ganharam destaque, no estilo brut (seco), os rótulos da Miolo (R$ 37), Perini (R$ 34) e Cave Geisse (R$ 48). O primeiro é o preferido de Manoel Beato, autor do Guia de Vinhos Larousse, que elogia sua robustez de corpo e persistência no paladar. Mário Telles Jr., da Associação Brasileira de Sommeliers de São Paulo, elege o Perini pelo caráter frutado e a intensidade das borbulhas. Já o Cave Geisse constitui quase uma unanimidade, formatado por um dos enólogos mais talentosos que atuam no país, o chileno Mario Geisse.

E vão além as opções nacionais, com marcas como a Vallontano (R$ 40), a Salton (R$ 30) e a Valduga (R$ 44). Enquanto Salton e Valduga pertencem aos pesos-pesados, com centenas de hectares de vinhedos, a Vallontano se alinha entre as vinícolas de porte menor, artesanais. Seu espumante é marcado pelo caráter floral e a intensidade de sabor. A Casa Valduga, além do brut básico, oferece o Gran Reserva Natura (R$ 84), alguns degraus acima. Outras apostas: Chandon Excellence (R$ 70) e Don Guerino (R$ 23). Qualidade em alta e preço justo são as boas credenciais do produto nacional neste fim de ano. 

Enodicas

+ A rede Vino!, com matriz em Curitiba, inaugurou nova filial, agora em Ribeirão Preto. Trata-se da segunda loja da empresa em São Paulo (a outra se situa na capital). A Vino! tem expandido bastante sua atuação. Deixou de apenas representar outras distribuidoras e vem criando um catálogo próprio, com vinhos de importação direta. A filial de Ribeirão Preto oferece, em sua adega, 1100 rótulos de 14 países.

+ O Centro Europeu de Curitiba já abriu as matrículas para o curso de sommelier, com início em março próximo. A duração é de seis meses, podendo os pretendentes optar por classes no horário vespertino ou noturno. Esse curso se insere na área de gastronomia desenvolvida pela escola, formando profissionais também para os setores de cozinha, administração de restaurantes, confeitaria e panificação. O Centro Europeu mantém ainda unidades em Ponta Grossa e Joinville. Informações pelo telefone (41) 3222.6669.

+ Outro curso, este mais rápido, básico, destinado a oferecer ao consumidor uma introdução ao universo do vinho, é o que realiza a Vino! Champagnat, às sextas-feiras, das 19h às 22h30, sempre que completado o número mínimo de inscritos. Cinco diferentes tipos de tintos e brancos são provados e comentados durante a aula, ministrada pela enóloga Sandra Zottis. Inscrições (R$ 65) pelo telefone 3335.6060.

+ A campanha Novembro Rosé, que apoia o setor de prevenção do câncer de mama do Hospital Erasto Gaertner, foi lançada em evento realizado no Espaço Cultural David Carneiro. Ao longo do mês, uma rede integrada por trinta bares, restaurantes e lojas destinará à casa hospitalar 15% das vendas dos espumantes Bacio Della Luna (R$ 14) e Filipa Pato 3b (R$ 44), e dos vinhos Santa Carolina Cabernet Sauvignon Rosé (R$ 22) e o Le Rosé de Floridene (R$ 50). Em cada estabelecimento há também um cofre para coleta de donativos extras.

+ Monte Belo do Sul é um dos primeiros municípios do Vale dos Vinhedos a iniciar a vindima, e também um dos primeiros a festejar o evento. A festa da uva local já está programada, com várias atrações, estendendo-se de 20 a 30 de janeiro. O município se orgulha de ser o maior produtor per capita de uvas na América Latina.

Publicidade

Publicidade