Fiat Doblò para deficientes e cadeirantes

Redação Publicação 01/04/2010 - 00h00 Atualizado 19/01/2013 - 21h48

Nos próximos capítulos da novela "Viver a vida", a personagem Luciana irá enfrentar desafios ao tentar andar de ônibus.

Hoje as principais capitais e cidades do Brasil dispõem de táxis adaptados para transportar cadeirantes.

O Rio de Janeiro foi à primeira cidade do Brasil a adotar este conceito em 2007. São Paulo passou a operar a partir de 2009. E Curitiba recentemente.

Hoje no Brasil o universo de pessoas com deficiência ultrapassa os 25 milhões. Empresas vêm se especializando cada vez mais ao trazer tecnologia dos países mais avançados do mundo.

É o caso da Technobras, empresa sediada em Betim (MG), que pertence a um grupo europeu, e que realiza a transformação do automóvel Fiat Doblò, onde oferece solução completa e segura para transporte de pessoas com deficiência em suas próprias cadeiras de rodas.

Para cadeirantes

O Fiat Doblò é opção mais segura no mercado nacional para transportar cadeirantes. O "kit" para transformação consiste em levantamento do teto em chapa automotiva (com acabamento panorâmico) e portas traseiras, instalação de plataforma totalmente automatizada, "kits" de fixação no piso do automóvel e moderno sistema de cintos de segurança.

Não existe esforço físico para colocar o cadeirante dentro do carro, visto que a plataforma é acionada por controle remoto realizando os movimentos de descida e subida da mesma.

Passando pelos mais rigorosos testes de impacto mundiais, o Doblò obteve nota louvável de aprovação em todos eles. Para Miriam Matos do Lago, diretora comercial da Technobras, "o Brasil ainda caminha lentamente para ter o modelo ideal de acessibilidade.

Iniciativas foram criadas e estão sendo realizadas, porém o percurso ainda é longo. Nossa empresa importa hoje, as melhores tecnologias mundiais para transformação de veículos para transporte de cadeirantes. Só assim podemos oferecer conforto e segurança máxima para os passageiros", declara a executiva.


Publicidade

Publicidade

Comente a notícia